Livre-se do Fardo da Culpa




Imagine a seguinte cena: você fez algo de errado contra alguém ou contra o próprio Deus. Depois aquele peso veio com tudo em seu coração e você se sentiu mal pelo que fez. Tendo consciência disso, você reconheceu o seu erro e foi chorando pedir perdão a Deus (ou à pessoa). Porém, continuar de onde parou não parece funcionar e você ainda se sente em dívida, e repetidas vezes pede perdão pela mesma coisa.


Se você ainda se sente culpado depois de confessar seu pecado e lembrou-se de que está perdoado, adivinhe quem está lançando a culpa sobre você: Satanás. Ele não quer que você aceite que Deus te perdoou. Por várias vezes me senti culpado mesmo depois de ter recebido a absolvição do Senhor. É como se você sujasse as mãos em algo muito nojento e por mais que as lave com sabão, a lembrança da sujeira nos faz impede de tocar em alimentos.



Quanto mais deixamos a culpa em nossa mente, maior ela se torna. O próximo estágio é o sentimento de incapacidade e de baixa autoestima, seguido da vontade de desistir. E este é o plano do Acusador: fazer com que paremos a caminhada cristã e rejeitemos o que Jesus fez na cruz do Calvário.

Durante um culto dias atrás, eu ouvi algo que me entristeceu muito, pois veio de um pastor muito usado por Deus. Ele disse que às vezes cometemos pecados que fazem com que o Espírito Santo se afaste de nós. Imagine o que se passa na cabeça de um novo convertido que luta contra o pecado! Se eu tivesse ouvido isso quando comecei, teria entrado em depressão. A Bíblia diz em Hebreus 13.5


De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei.

Deus nunca sairá de perto de nós, ainda que pequemos. Quem se afasta de Deus somos nós mesmos, mas Ele continua no mesmo lugar onde sempre esteve. O pecado alimenta a nossa carne e a nossa alma fazendo-os sobressair ao nosso espírito regenerado no sangue de Cristo. E o espírito é que tem contato com o Criador que é espírito também.


Temos que aprender a aceitar o sacrifício vicário de Jesus e eliminar a culpa. E se Ele já pagou, apenas aceite o perdão como um “recibo” de que sua dívida não existe mais. Porém, isso não nos dá direito de continuarmos no erro, pois isso seria nos entregar livremente ao pecado. Lembre-se do que o nosso irmão João escreveu em sua primeira carta:




Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; mas, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo (I Jo 2:1).

Em um texto de uma irmã publicado na internet, há uma ilustração muito interessante sobre esse versículo. Assim ela escreveu:

“Aqui Está uma cena que provavelmente ocorreu no céu, na presença de Deus, hoje. (…) O inimigo foi para lá hoje com uma pasta de documentos sobre cada um dos filhos de Deus. Ele levou um dossiê sobre João e Pedro e Luiz e Karina, e especialmente um grande arquivo sobre Hal. Ele acusa e aponta: ‘Ah, ah! Temos aí o Hal. Ele é um de Seus filhos, pois não? Viu o que ele acaba de fazer?’ Satanás começa a acusar. Então Jesus se aproxima e diz: ‘Pai, o Hal creu em Mim em 1956. O perdão que eu adquiri na cruz foi então aplicado a ele. Esta é nossa única justificativa’. E o Pai diz: ‘Acusação rejeitada! Caso encerrado!’”

Contudo, essa cena só acontece quando nos arrependemos e solicitamos misericórdia ao nosso Advogado, que nunca perdeu nem perderá uma causa.


Irmã(o), não deixe o pecado nem a culpa te dominar. Mas se você não resistiu, não permaneça no caído e nem se culpe. Lembre-se de que Jesus morreu na cruz em seu lugar. Assim, não somos mais culpados dos nossos erros, mas Ele já se fez culpado em nosso lugar (não no sentido de prática do erro, mas no sentido de quitar a dívida). Também não desanime se não consegue se livrar de um vício. Clame pelo sangue do Cordeiro e siga em frente: o remédio para vencer só é encontrado na presença de Deus.



FONTE; EVANGELIZAI

Um comentário:

Marjory disse...

Deus abençoe sua vida, sua casa e sau ministério.
http://marjoryartes.blogspot.com